6 de março de 2015

Crítica: Love, Rosie (Simplesmente Acontece)


Hello Marshmallows!
Dessa vez eu vou me arriscar a algo novo. Essa será a primeira crítica de uma longa-metragem da minha vida!

Vamos lá. Admito que assisti o filme antes de ser lançado do Brasil, mas decidi falar sobre ele APÓS o lançamento oficial.
Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.
Logo de cara, eu já estava com as expectativas lá em cima em relação ao filme. Ele promete uma comédia romântica (coisa que vem se perdendo nesses anos, com aqueles romances que nada têm de comédia), e ele TE DÁ uma comédia romântica (YAY).
Nossa... Esse filme mostra tudo que acontece de verdade na nossa vida. Aquela amizade pura que você com certeza tem com alguém, os erros da adolescência, gravidez na juventude, mortes, superações, traições... Tudo isso em algumas horas de filme.

Eu poderia ficar horas aqui escrevendo o que achei dos cortes, dos enquadramentos... Mas quero falar sobre a história que pode ser aprendida com ele.
Claro que não posso redigir um texto sem comentar o roteiro que, na minha opinião, foi perfeito para a ocasião da história. Ainda mais aquelas partes em que a fala era desmentida pelo olhar.

A escolha de atores foi maravilhosa. A conexão entre Lily Collins e Sam Clafin (lindo), foi tão intensa que me deu arrepios. E por isso você podia sentir e aproveitar muito mais aquilo que foi passado pelas câmeras. Principalmente os beijos... hehe

É bem engraçado como Rosie consegue lidar com as adversidades. Assim como superar seus próprios sentimentos, pra que a outra pessoa se sinta bem. Okay que isso não é bom na maior parte do tempo, mas ela se mostra uma garota solidaria (até demais).
Como disse antes, o "clima" entre eles não foi forçado. Por muitas vezes você vai jurar que tudo vai ficar maravilhoso, já que eles são tão perfeitos um para o outro, mas... NÃO!

Assim como a vida, a ficção coloca obstáculos bem reais entre eles. Rosie precisa manter uma vida mais cheia de responsabilidades e Alex, que vai para Boston, só quer ser feliz (e ele acha que é, por um tempo).
É incrível como eles tentam, de verdade, uma vida separados. E mesmo que eles se encontrem e se sintam envolvidos... Eles não cometem erros (a não ser o erro principal de se renegarem, é claro).

Às vezes nós mesmos não queremos aceitar sentir aquela coisinha a mais pelo melhor amigo, por medo. E realmente, muitas vezes dá tragédia. Mas isso não quer dizer que vai dar errado sempre e com todo mundo. Nessa história, mesmo que seja algo de cinema, você percebe que nem sempre precisa ter medo de arriscar nisso. E acho que serviu de conselho para milhões de pessoas que se sentiam presas nessa questão.

Eu aprendi muito com eles e vou fazer uma pequena listinha.

  1. Nem sempre a friendzone te garante proteção.
  2. Se for a sua primeira vez e do cara também... Se ajudem (sério).
  3. Não há motivos para achar que você não pode realizar seus sonhos.
  4. Os erros nem sempre são ruins.
  5. Não se envolva com uma pessoa porque você quer superar alguém. (Nem precisava falar isso né)
  6. Não ache que a garota que você é com dezoito anos, será a mulher que você se tornará aos vinte e oito.
  7. Não esconda seus sentimentos. Mesmo que isso signifique passar por cima de algumas regras. 
  8. Não deixe uma amizade morrer por motivos idiotas. 
  9. E por fim... O cara/garota pode gostar de você e você é a única pessoa que não percebeu ainda, então abre os olhos.
Eu consegui amar Love, Rosie em segundos. E ainda assisti mais duas vezes! Então é meio óbvio que darei 5 estrelas da tia Ruuh pra ele.


Espero que vocês tenham gostado e assistam o filme, para tirarem suas próprias conclusões.
Beijos da tia Ruuh!



Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Heeeey! É ótimo poder ler sua visão sobre esse filme, porque, eu já havia dito a razão de eu não ter gostado muito, mas, vendo por esses lados que você apontou, o filme é sim amorzinho. Mas é aquilo né, continuo falando, é sofrer muito ter que ficar esperando pra dar certo, sos, fiquei muito agoniada! Mas é, acho que o filme não é apenas sobre o "casalzinho sendo feliz e meigo etc fofos" mas é sobre amizade, porque, apesar de tudo, e acima de tudo, eles são melhores amigos! Essa é uma mensagem bem legal!
    Enfim, amei o post <3

    Bjooooooooooooooooooooooooooooo

    www.girlfromoz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Mandou muito bem por ser a primeira resenha ^^
    Eu quero assistir o filme <3

    ResponderExcluir
  3. Não vi ainda, mas acho essa Lilly Colins tão chata e sem graça kkkkkk desde os instrumentos mortais que acho que nunca mais vou ver nada dela kkkkkk
    bj

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo