16 de janeiro de 2015

Resenha: Dias Perfeitos





Sinopse: Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

Logo no começo, podemos perceber que Téo, nome dado ao protagonista, é daqueles personagens um tanto estranhos, fechados, e que não possui amigo. Sua única amiga é um cadáver de uma mulher mais velha que ele carinhosamente batizou de Gertrudes. Téo chega até ficar animado para as aulas de anatomia, por que só assim ele pode visitar sua querida amiga.

Como dito anteriormente, Téo é um personagem fechado, seu único vínculo mesmo é com Gertrudes. Não considera sua própria mãe (que ele apenas chama de Patrícia), sua amiga. Mas, tudo muda, quando Patrícia o faz ir a um churrasco, e assim, ele acaba conhecendo Clarice, estudante de história, mas aspirante a roteirista de filme. Clarice então, começa a conversar com Téo, o fazendo perguntas meio íntimas até, e dessa forma, o rapaz fica fissurado por ela.

Essa fissuração fez com que acontecessem várias coisas, Téo começa a perseguir Clarice, e depois a sequestra, de forma que a mantém sedada para não fugir ou fazer algo que fuja de seu plano de "conquistar Clarice".


"Dias Perfeitos" é um livro que mexe com o psicológico de leitor facilmente. Eu praticamente devorei o livro, cada vez mais queria saber no que isso tudo ia dar, se Téo iria conseguir executar totalmente seu plano, ou se o jogo iria virar e Clarice daria um troco nele. Confesso que a mente bizarra de Téo chegava as vezes a me deixar super nervosa, seus comentários impertinentes em algumas horas me davam aos nervos. Acho que o escritor conseguiu facilmente mostrar como a mente de uma pessoa como Téo, pode funcionar.

Não me reparei com muitos clichés, consegui visualizar perfeitamente uma história totalmente inovadora, cativante e doentia. MAS....

Preciso dizer. Me decepcionei com o final. Não tem como eu falar muito da razão disso pois eu acabaria dando um spoiler enorme. O que eu digo é que eu não imaginava que aquilo fosse acontecer. Deveria levar isso como algo bom, como se o autor tivesse me enganado totalmente, mas não... Esperava um final diferente daquele, mas ele trouxe um pequeno nível de cliché, e não gostei muito disso (não suporto clichés).

Apesar disto, o livro vale muito a pena SIM, tanto que ele teve direitos de publicação no exterior e também direitos vendidos para ser adaptado nas telas do cinema.

O livro leva nota:


      
     

Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Amei a resenha :D

    Adorei o seu blog e já estou a seguir :)

    beijos,
    Daniela RC
    Doce Sonhadora

    ResponderExcluir
  2. Oie, Carol.

    Poxa, quando os finais decepcionam não sei se vale a pena investir no livro. A gente espera tanto, gosta tanto, e quando lê o final tem vontade de atirar o livro longe... Pareceu uma história legal, mas o seu comentário sobre o final me deixou com o pé atrás. Já não sei se quero conhecer a história de Téo ):
    Já estou seguindo o blog e curti sua page. Espero uma visita sua no Me Livrando!

    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, é o que eu disse, o livro é bom, mas eu< não gostei do final. Mas acho que isso depende muito da pessoa... :/

      Excluir
  3. Olá Carol,
    Estou curiosa para ler esse livro, mas fiquei com um pé atrás por causa do final que você citou.
    Acho a capa desse livro muito bonita :)

    Beijos, www.rayramii.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, a história vale a pena ser lida, mas é o que eu disse, o final foi algo que não me agradou. Mas acho que isso pode variar de pessoa em pessoa.
      Beijos!

      Excluir
  4. Preciso contar que comecei achando que tinha sido a Ruama que escreveu a resenha (por que? não sei, até porque a gente comentou à beça sobre esse livro e eu já sabia que vc tinha lido!), aí cheguei na parte que você diz que não curtiu o final e fiquei "mais uma", aí terminei de ler e vi seu nome e fiquei aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!

    (aquele momento que você percebe que sou totalmente pirada)
    Mas enfim, adorei sua resenha sincera e quero para mim a sua foto com a máscara do Iron Man! u.u
    Beijos!

    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
  5. Aconteceu algo bem parecido comigo há um tempinho! Me decepcionei com o final, não por imaginar algo diferente, mas eu esperava mais detalhes, e foi narrado tão rapidamente no fim que acabou deixando a desejar. É ruim quando acontece :/
    Ainda assim fiquei muito interessada em ler esse livro, já tinha lido um pouco sobre e fiquei bemm instigada!

    Beijos,
    Caroline, do http://www.criticandoporai.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Gostei,estou curiosa para ler,beijos http://blogdamihcamargo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo