16 de outubro de 2014

1 ano de transição capilar - História do meu cabelo com fotos

                  Olá povo! Hoje eu tenho um assunto um tanto quanto pessoal para tratar com vocês. Há um ano mais ou menos, eu decidi parar de alisar quimicamente o meu cabelo. E, aqui no Pequena Leitora, eu vim contar a história.
                  Meu cabelo sempre foi um problema para mim. Sempre que eu falo desse assunto, eu me lembro de uma situação que aconteceu comigo quando eu tinha mais ou menos 7 anos. Minha mãe sempre alisou o dela. No caso, os fios são bem menos cacheados que os meus. Certa vez, ela chegou em casa com o cabelo todo liso e impecável. Eu, bem nova, não entendia o porquê do que meu cabelo não poder ser lindo daquela forma. Na minha cabeça, eu só pensava que nunca poderia ter uma franja curta, que sempre seria feio e cheio e grande e... Bem, tudo isso. Foi assim que eu comecei a querer alisar meu cabelo.




                 Vamos voltar um pouquinho. Nessa foto eu tinha 4 anos. Eu era apaixonada por Sandy e Júnior e amava o cabelo da Sandy. Minha mãe diz que com essa idade eu queria ter um franjinha igual a dela, hahaha. Eu a imitava na sala, dançando de um lado para o outro... Ok. Como é visível, os meus fios eram finos e meu cabelo extremamente cheio. E não, eu não consigo me lembrar de um dia ter gostado deles na minha infância.

                  



                 Na foto acima eu tinha por volta de 9 anos. Eu já havia desenvolvido um problema de autoestima muito grande. Além de ter um cabelo difícil de tratar, eu comecei a usar óculos com 5 anos de idade e aparelho aos 9. Por muito tempo (e confesso que até hoje, as vezes) eu me senti o patinho feio de todos os lugares que eu ia. Mesmo assim, eu achava melhor passar pelo processo de alisamento do que assumir meu cabelo verdadeiro.

                 

                 Dessa forma, eu comecei a fazer várias coisas. Pintei de vermelho, roxo, azul caneta e rosa. Cortei franja 3 vezes, cortei no ombro 3 vezes também. Sempre dizendo que nunca voltaria a ter o cabelo cacheado, nunca passaria pelo período de transição. Contudo, eu nunca estava satisfeita. Várias crises de ansiedade e choro enquanto eu fazia chapinha. Nunca me achava bonita, nunca o suficiente. Não importava de quantas formas eu cortasse ou pintasse o cabelo, pra mim não estava bom.
                 Comecei a fazer terapia aos 15 anos. Não, terapia não é coisa de gente doida, ao contrário do que pensam. Eu sabia que precisava fazer alguma coisa para mudar meu estado de espírito. Eu sentia que essa coisa toda com a autoestima me afastava de tudo o que eu mais amava: amigos, família e Deus. Quando você tem um problema de aceitação como eu tinha, tudo parece ruim. Eu vivi assim durante quase 10 anos.
                 Depois de praticamente dois anos fazendo terapia, eu comecei a me olhar de uma forma diferente. Comecei a ver como eu havia me colocado debaixo do controle da mídia, como eu havia deixado comentários na minha infância (que eu não citei aqui, porque não valem a pena) me atingirem de tal forma. Então eu tomei a decisão de parar em outubro de 2013. Foi a ultima vez que fui ao salão alisar meu cabelo.


                 Decidir não é nem de longe uma coisa fácil. Eu passei um ano totalmente escrava de métodos que escondiam a textura do meu cabelo. A raiz cacheada e as pontas lisas. Foi bem chato e eu pensei em desistir várias vezes, confesso. Mas só de lembrar do cheiro da química e de quanto tempo eu já estava sem fazer eu desistia de voltar. Alguns blogs e canais do YouTube (como o da Rayza Nicácio) me ajudaram a ter forças também e, claro, Deus. A religião é uma grande parte de mim e me ajudou muito a não desistir.
                 Sábado passado foi o dia. E olha que eu nem sabia que seria. Eu saí de casa achando que iria cortar somente dois dedinhos de cabelo. Quando cheguei lá, a minha cabeleireira (beijinhos, Henri!) lavou meu cabelo e nós começamos a conversar. Eu perguntei quanto tempo ela achava que demoraria até crescer o suficiente. Ela disse que isso dependia de mim e que eu poderia cortar naquele dia, se eu quisesse. Por dentro, eu estava nervosa. Como resolver cortar praticamente todo meu cabelo, ainda mais sem me preparar antes? Mesmo não gostando da situação, eu era apegada ao comprimento dele. Decidi cortar. Aos pouquinhos.


                 Esse foi o resultado. Ele ficou curto, mas não tanto quanto eu achava. Considero que ainda estou em transição, pois a forma original dos meus fios ainda não se recuperou totalmente. Estou feliz, mas as vezes eu tenho crises. Lembram-se da Isabella que vocês conheceram ali em cima? Então, ela me assombra em alguns momentos. Ela me diz que está muito cheio, muito cacheado e que ninguém nunca vai olhar para mim. Ela me dá alguns apelidos as vezes... hahaha Só que não há nada no mundo que faça essa Isabella vencer. Esse cabelo representa quem eu sou de verdade, representa maturidade, representa o fim de uma "era", digamos assim. E a nova Isabella está muito orgulhosa de si mesma. Como sempre, modesta, hehe.
                 Espero que esse post tenha feito vocês refletirem um pouco sobre vocês mesmos. Compartilhar essa história com fotos não é fácil para mim. Eu sempre tive muita vergonha disso e, como disse anteriormente, ainda tenho. Só saiba que você, leitor(a), é lindo(a) do seu jeito. Não importa o que mídia diz. Não importa o que as pessoas te dizem. Você tem que se amar, antes de tudo. Eu sei o quanto é difícil, ainda mais se você se sente como eu me senti por tanto tempo. Só saiba que você não está sozinho(a) nessa. Seja você mesmo(a), sempre. A vida é bem mais divertida e leve assim, acredite. (:



                 Beijão! <3

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Isabella, estou orgulhosa de você. Embora tenha visto as suas fotos com o cabelo roxo e pensado: "Aaah, pinta de novo!!!", e aquela franjinha bonitinha que você usava há uns quatro anos, tenho que admitir que você está muito bonita. Em partes acompanhei o seu drama e conheço um pouco do relacionamento que você tinha com o seu cabelo, e é principalmente por isso que fiz questão de vir aqui dizer que estou orgulhosa de você. Desculpe se esse comentário é muito mãe, mas eu sou muito mãe mesmo, e imagino que não deva ser fácil sair na rua sendo você mesma, mostrando ao mundo quem você realmente é e tentando não se importar com a opinião alheia, que querendo ou não, infelizmente, assim como as lembranças doloridas do passado, sempre aparecem para nos assombrar. Provavelmente ainda haverá muitos dias na sua vida que você estará cansada do seu cabelo, como acontece em todo relacionamento, mas acredito que se apaixonar todos os dias pela mesma coisa é o primeiro passo para nutrir a felicidade, mais ainda se apaixonar todos os dias por si mesma. Enfatizo que estou orgulhosa em te ver cuidando com todo esse carinho de suas próprias escoriações. (Mesmo que eu não entenda nada porque não tenho religião. hahhaha)
    Parabéns pela coragem em se mostrar ao mundo. Tenho certeza de que o seu depoimento ajudará muitas meninas a se aceitarem, e você será ainda mais linda por isso.
    Beijo!! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bárbara, muito obrigada, amiga! Você sabe que eu fico muito feliz em ver o apoio das pessoas que eu amo. Eu não sei escrever textos bonitos como os seus, mas saiba que não me importo que seu comentário seja mãezona, porque essa é você e é pela sua chatice que eu te adoro. HAHAHAH
      Você é linda, muito obrigada.

      Mil beijões. <3

      Excluir
  2. Tá linda Isabella! Passei por coisas parecidas com as suas, e acho incrível sua coragem de contar tudinho talvez pra ajudar outras pessoas. Agora só esperar nossos cachinhos crescerem \o/ Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Larissa! Sim, to contando os segundoooooos! ahahahah
      Beijão! <3

      Excluir
  3. Acompanho sua saga a poucos anos,mais sempre entendi muito bem,vivo o meu trabalho,encontrei várias Isabellas,rsrsrs,mais nenhuma tão derrepentemente decidida,vc estava se preparando,e eu apesar de ansiosa,não quis apressar as coisas,tentei te deixar segura,e ali,na cadeira,na hora h,vc decidir me deixou orgulhosa da confiança depositada ,ficou LINNNNNDA!!!!Obrigado por me permitir fazer parte ,de tão importante decisão. Show...amei,bjs!!!!PS. sei que não nos veremos menos por isso,espero né!?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henri!!! Muito obrigada, sua linda <3 Você foi uma parte importantíssima nesse processo... Se não fosse sua conversa comigo, talvez eu nunca tivesse coragem. Claro que vamos continuar nos vendo! ((:

      Beijão!

      Excluir
  4. Adorei sua decisão e seu cabelo! O volume dele é muito bonito. Saiba que independente do cabelo, precisamos nos amar em primeiro lugar!
    Beijosss

    http://xepadosbofes.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Fico muito feliz de ler uma resposta positiva!

      Beijão!

      Excluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo