11 de março de 2014

Sejam Bem-vindos! (Resenha de Charlotte Street)

Olá querido pequeno leitor ou leitora. 
Hoje começo essa nova jornada de blog. Espero que cresçamos juntos nesse mundo e tenhamos muita diversão e bate-papo. Ainda irei apresentar-me um pouco mais para vocês, mas por hoje eu deixo a vocês minha primeira e lindíssima resenha.
Vamos começar!

Livro Charlotte Street
Conhecendo o escritor:
O livro foi escrito por Danny Wallace. Danny mora em Londres e já escreveu outros livros bem conhecidos e um desses é "Yes Man", que gerou o tão conhecido filme "Sim Senhor", protagonizado por Jim Carrey (sou apaixonada por esse homem).
O livro foi lançado no Brasil pela Editora Novo Conceito, em 2012.
No livro Charlotte Street, Danny escreve sobre a vida, principalmente, de um jornalista de Londres.
O conteúdo:
Para começar, devo citar que antes mesmo de começar a ler esse livro, muitas pessoas tentaram me desmotivar a lê-lo. Eles diziam que o livro era exaustivo e muito sem graça. Bom... Eu li o livro em três dias, tendo ele 400 páginas, contando com a introdução e a página extra.
A Sinopse do livro no geral conta sobre uma menina que está cheia de sacolas em frente a um táxi e tem dificuldade para entrar no mesmo. O nosso personagem principal se admira com sua beleza e a oferece ajuda. Ele carrega algumas sacolas e a ajuda a entrar, então eles trocam de olhares, ele devolve as sacolas porque o motorista do táxi está impaciente. Ela agradece, entra no carro e ele a vê partir. Então ele percebe que em suas mãos continha uma caixa de plástico com uma câmera descartável.
O personagem principal se chama Jason Priestley. Ele trabalha atualmente (no presente do livro), em uma revista de Londres. No começo ele é um freelancer, mas ao decorrer da história, as coisas mudam.
A história é contada na primeira pessoa, o que nos deixa um pouco mais focados na vida DELE, mas não nos priva totalmente dos acontecimentos externos. Claro, há momentos que algumas coisas se mantém ocultas e você se pergunta "o que fulano está fazendo nessa hora?", mas o escritor tenta ao máximo nos envolver na situação.
Jason é um cara bem triste, na verdade. Ele é divorciado e isso causa muitos problemas ao decorrer da história, porque ele tem esse tipo de "obsessão" pela ex, mas não vou entrar em detalhes e mandar spoilers.
Ele esbarra com a garota da sinopse e fica com a câmera descartável. Eu admito que na primeira vez que li a sinopse, imaginei uma história cheia de romance e aquela coisa totalmente mágica, mas foi totalmente ao contrário.
Por incrível que pareça, o romance quase nunca aparece, mas sim o ato romântico (ou paranoico, você decide quando ler). Jason conhece novos amigos, que incluem uma roqueira divertida e um ex aluno da escola que ele costumava lecionar.
Ele mora com um amigo que é bem piradinho e o que deixa a história um pouco mais engraçada.
É legal ir descobrindo os relacionamentos que Jason já teve e a história de seu ex casamento.
Ele tenta achar a garota do táxi de modos tão absurdos, que achei quase impossível a menina não encontrá-lo, mas pois é... É um livro cheio de expectativas, e talvez tenha sido isso que me prendeu a ele.
Uma dica para quando for lê-lo: Tente entender a mente de Jason e ver as possibilidades pelo ponto de vista dele (mesmo que ele pareça meio louco pra você).
O livro menciona lugares turísticos de Londres, assim como lugares comuns para britânicos. É um ótimo jeito de conhecer melhor a capital da Inglaterra.
Ele não é tratado em uma área única de Londres, então você vai entender melhor como eles se locomovem para lugares ao derredor também.
A capa:
Como vocês podem ver na imagem acima, ou até em seu próprio exemplar do livro, a capa do livro é simplesmente uma foto de Londres. Achei interessante olhar a capa depois de ler livro, porque você entende que aquilo significa a grande Londres, onde a história toda ocorre, por todo o canto. Ele poderia ter simplesmente fotografado uma câmera ou uma garota, mas a história é muito mais do que esses dois elementos. (muito mais MESMO).
Ela é uma capa dobrável, mas aconselho a não dobrá-la se você gosta de ter seus livros aparentando como novos em folha. Ela não molha e faz com que o livro esteja firme em suas mãos.
Divisão de capítulos e escrita:
Os capítulos são divididos por numeração mais um título. Ele usa "ou" antes do real nome do capítulo e isso pode até tornar as coisas mais divertidas.
Eles são compostos por mais ou menos sete folhas frente e versa, então os capítulos não serão enormes.
A fonte é um pouco menor que o costume, mas não muito, e isso ajuda a compactar o texto em uma página.
Ele escreve, como já foi mencionado, em primeira pessoa e tenta usa os artifícios dessa ferramenta para nos deixar confusos e intrigados com a história.
Minha opinião:
Eu sinceramente gostei da história ao todo. Houve momentos em que pensei em pular algumas partes (mas não fiz), porque ele acaba explicando meros detalhes em momentos desnecessários.
O final me deixou a desejar. Esperava algo mais dramático já que vemos todo desespero que ele passa no livro, mas de algum jeito acabei me contentando com aquele final inesperado.
Ri em muitas partes e chorei em algumas também e isso importa muito em um livro. Acho que ele soube mexer um pouco com os sentimentos e os personagens. Me apaixonei por alguns deles e odiei outros, mas isso faz parte.
Enfim, o livro foi tudo o que eu não esperava e eu gostei de ser surpreendida.
Aprendi a não dar ouvidos para o que os outros gostam ou não de ler, afinal, minha cabeça contém os meus gostos literários e tenho certeza que nenhum gosto é igual.
Essa foi minha primeira resenha de livro na minha vida! Espero que tenham gostado. Ainda farei algumas, assim como sorteios de livros e outras coisinhas que podemos acrescentar no blog.
Até mais, pequeno(a)!
Ruuh G.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo